quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Headsets Bluetooth e o Brasil

A vida sem fios é melhor. Menos enrolação (literalmente), menos coisas para levar. Menos puxadas inesperadas ao prendermos o fio nas coisas, ou pessoas, na rua.

Mas comprar um headset bluetooth no Brasil é uma aventura. Faça o teste: tente comprar um. Mercado Livre não vale - você tem 90% de chance de pegar um vagabundo chinês, que é igual ao bom mas não funciona.

A Nokia lista (ou listava) diversos modelos no site brasileiro. Quase nenhum deles disponível para compra. Anuncia para que?

Samsung, Motorola e Sony têm (ou tiveram) modelos anunciados no site brasileiro. Mas vai tentar comprar...

A Philips é exceção. Consegui comprar um headset bluetooth, estéreo. Modelo SHB6110, que veio para substituir meu finado Nokia BH-214. E é sobre o Philips que este post fala.

Primeiro, a parte boa:
Ele é leve, se colocado corretamente não incomoda, tem umas boas 12 horas de autonomia real e parece ser bem resistente - estou com ele tem uns 3 meses, e não mostra sinais de uso. Carrega via mini-USB, então não é difícil recarregar quando preciso. O visual é discreto, os botões são precisos e não chama atenção. Os leds indicativos são bons, e fornecem uma indicação simples de carga quando ligamos o aparelho. Não é a oitava maravilha, mas funciona.

Agora a parte ruim:
O microfone dele é uma tristeza. Não é que não pegue sua voz - ele pega. A sua voz. A do cara atrás de você, na frente, do lado, de quem está do outro lado da rua... e por aí vai. Nem sonhe em tentar manter uma conversa em um local mais barulhento que a roça. E não pense na roça à tardinha - porque os grilos e sapos não vão deixar você conversar.
A recepção dele é boa - se não houver outro sinal. Existem lugares no centro do Rio em que é, simplesmente, impossível usá-lo. O som falha mais do que funciona. É, eu sei. Nenhum rádio é imune a esses problemas. Verdade. Mas porque meu Nokia funcionava perfeitamente onde esse falha miseravelmente?
O alcance é bom o bastante para deixar o telefone na mesa, e... continuar sentado na cadeira. Nem pense em se afastar. Com 2 ou 3 metros a coisa pipoca. Com meu Nokia dava para se afastar uns bons 6 metros, antes de começarem os problemas.

O som é até razoável. Não é a oitava maravilha, mas funciona. O volume é médio. Não dá para exagerar na empolgação, que o aparelho pede arrego. Pelo menos os graves existem - apesar de não serem extremamente profundos. Os agudos tendem ao estridente se o volume subir muito.

Se estou satisfeito? Médio. É melhor do que ficar amarrado com fios. Se acho que a compra foi boa? Não. Foi menos ruim do que ficar sem fone, mas não foi boa não.

O que vou fazer a respeito? Estou vendo se trago um Sony MW600 lá de fora. Espero que seja melhor que este Philips, Se não for a coisa vai ser triste...

2 comentários:

Bremm disse...

eBay não tem nada de interessante? Teu homônimo compra lá seguidamente.

Marcelo Rodrigues disse...

Não dou sorte com esse tipo de coisa. Sempre que tentei um meio alternativo, me dei mal.

Já com lojas, funciona sempre. Vai entender...

Pesquise a Internet